Pressão baixa existe
Pressão baixa existe

Todo mundo sabe que existem pessoas com pressão alta. Mas será que também existem pessoas com pressão baixa?

Bom, vamos antes reforçar alguns conceitos.

A pressão arterial normal é em média 120 x 80 mmHg, variando entre 90 x 60 mmHg e 139 x 89 mmHg. Valores como 80 x 50 mmHg ou até 150 x 90 mmHg também podem ser normais dependendo da situação.

Pressão baixaA pressão arterial (PA) é um dos indicadores da perfusão sanguínea para os tecidos. Chamamos de hipertensão quando a pressão arterial sanguínea está acima do necessário e hipotensão quando a mesma está baixa, não sendo suficiente para nutrir todos os tecidos do corpo. Portanto, mais do que um número absoluto, a pressão normal é aquela que mantém todos os órgãos e tecidos bem supridos de sangue, sem perigo de causar lesão aos mesmos (leia SINTOMAS E TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO ).

Se uma pessoa tem 85 x 55 mmHg e consegue fazer suas atividades diárias, ela não tem pressão baixa, ela tem pressão normal. A única diferença é que os seus valores são mais baixos que a média da população. Já conheci pessoas com PA = 60 x 30 mmHg que levam a vida normalmente.

Algumas doenças como insuficiência cardíaca (leia: INSUFICIÊNCIA CARDÍACA - CAUSAS E SINTOMAS) e cirrose apresentam pressão arterial baixa. Mas são pessoas normalmente com doença avançada na qual a hipotensão é muitas vezes sintomática.

Mais um exemplo de como pressão baixa não depende de valores absolutos é o paciente hipertenso de longa data que baixa sua pressão arterial rapidamente. Imaginem uma pessoa que há anos tem PA = 170 x 100 mmHg e começa a tomar remédios ou aumenta a dose dos mesmos. Ela rapidamente consegue baixar sua pressão para 110 x 70 mmHg, mas irá se sentir mal pois o seu corpo não está habituado a trabalhar com esse valores tensionais. Isto é hipotensão relativa. Apesar dos valores estarem dentro da faixa de normalidade, ela apresenta baixa perfusão de sangue nos tecidos. O nosso organismo não sabe ler números, para ele o que importa é se o sangue chega ou não a todos os tecidos.

Logo, mais importante do que avaliar um valor específico de pressão arterial é avaliar o paciente como um todo.

E quando devemos nos preocupar com uma pressão baixa?

Todas as vezes que houver sintomas de pressão baixa como tonturas, incapacidade de se manter em pé, suores frios, pele úmida e fria, taquicardia (coração acelerado), vômitos, câimbras ou redução do nível de consciência. Resumindo, nos preocupamos com níveis tensionais baixos quando há sinais de choque circulatório estabelecido ou iminente (leia : CHOQUE CIRCULATÓRIO. O QUE É ISTO ?)

E aquelas tonturas que sentimos em dias quentes ou quando nos levantamos rapidamente?

Quando estamos submetidos a situações de estresse, como medo, calor intenso, dor etc... o corpo pode apresentar uma súbita queda da pressão por uma manobra vagal. Leia: DESMAIO, SÍNCOPE E REFLEXO VAGAL para entender melhor esta situação.

Já aquelas tonturas que sentimos quando nos levantamos muito rápidamente ocorrem pela chamada hipotensão postural. Quando estamos deitado, o corpo não precisa vencer a gravidade para levar sangue de volta ao coração e, principalmente, para o cérebro. Ao nos levantarmos, a pressão que era suficiente deitado, passa a ser insuficiente quando em pé. Em geral, o corpo rapidamente se adapta e não sentimos muitos sintomas, mas em idosos, diabéticos e pessoas desidratadas, esta resposta pode demorar alguns segundos, sendo o suficiente para ocorrerem sintomas mais fortes como tonturas, vista escurecida, suores e até quedas da própria altura.

É importante destacar que estes são eventos agudos que rapidamente são corrigidos. Algumas pessoas acreditam ter pressão baixa porque apresentam constantemente desânimo, preguiça, falta de energia, sono frequente, letargia etc... Estes não são sintomas de hipotensão.

Um caso particular são os pacientes com síndrome da fadiga crônica, um grupo de pessoas que apresentam quadro de cansaço persistente, muitas vezes incapacitante, e que, muitas vezes, apresentam níveis de pressão arterial abaixo da média, o que parece ser uma das causas para os sintomas (leia: SÍNDROME DA FADIGA CRÔNICA). 

Na verdade, ao contrário da hipertensão, a hipotensão não é uma doença, mas sim um sinal de uma doença. Se a pessoa tem pressão baixa, nada ou quase sente, e consegue ser produtiva, levando uma vida normal, ela na verdade tem pressão normal.

Um erro comum é pôr sal embaixo da língua. Não existe doença que se trate com sal sublingual. Se for uma hipotensão real, não será isso que irá resolver. Se o paciente se sente mal, o melhor é deitá-lo com as pernas para o alto e solicitar atendimento médico caso não haja melhora espontânea.

Para finalizar:

  • Nem toda pressão arterial abaixo de 90 x 60 mmHg tem algum significado clínico
  • Nem toda pressão arterial precisa estar abaixo de 90 x 60 mmHg para ser sintomática
  • A maioria das pessoas que acredita ser hipotensa, não é.
  • Não se trata hipotensão com sal em baixo da língua
  • Hipotensão não é doença e sim um sinal de uma doença.
  • A hipertensão normalmente não tem causa. A hipotensão sempre tem.




Votação
O que você acha desse site? Dê sua nota
9|95|blue
Ver Resultados

Rating: 2.9/5 (2613 votos)




ONLINE
1





Partilhe este Site...