cursos on line
cursos on line

 

 

 

 

 

 

 

 

COMO APRENDER INGLÊS PELA INTERNET  
   

CURSO DE MAQUIAGEM  
   

Como cortar cabelos

 

 

 

O sorriso

 

Quando você sorri para outra pessoa, ela quase sempre lhe retribui o sorriso, o que, devido à lei de causa e efeito, gera sentimentos positivos recíprocos.

Estudos mostram que, em geral, os contatos são mais tranquilos, duram mais, criam mais resultados positivos e melhoram sensivelmente o relacionamento quando você usa o sorriso e o riso regularmente, a ponto de torná-los um hábito.

O sorriso ou um simples riso reforçam o sistema imunológico, protegem o corpo de males e doenças, vendem idéias, ensinam melhor, atraem mais amigos e prolongam a vida.

Você já parou para pensar que o sorriso é naturalmente uma expressão universal?

Descobrimos a arte de sorrir quando ainda nem sabemos falar.

Quando bebê descobrimos que se sorrimos conseguimos criar vínculos de proteção e agradamos aos que estão ao nosso redor.

Para muitos o Sorriso é um sinal de submissão.

Quando vamos cumprimentar uma pessoa ou dar um simples bom dia. Ao sorrir estamos refletindo muitos sinais não verbais, estamos claramente falando:

  • Eu não sou uma ameaça para você.
  • Por favor me aceite.

As pessoas tendem a refletir as expressões dos outros.

Naturalmente se você sorrir é provável que receberá um sorriso como resposta.

Pessoas que trabalham em um mesmo ambiente tendem a ter costumes similares.

O sotaque em regiões é uma prova deste conceito. Basta ficarmos alguns dias que então começamos a copiar estilos na fala, vestimentas etc…

Regras da Linguagem Corporal

  1. Lembre-se que ao ler a linguagem corporal de uma pessoa você estará indiretamente invadindo sua privacidade. Tome muito cuidado com os resultados. Até especialistas podem errar.
  2. Mesmo que você descobriu algo analisando a linguem corporal de uma pessoa. Respeite essa pessoa, pois afinal ela não confirmou/falou verbalmente.
  3. NUNCA defina ou conclua um comportamento/atitude em uma linguagem isolada. Sempre analise o todo em geral antes de julgar algo ou alguém.

UM POUCO DE TEORIA:

Zigomático Maiores

Estes músculos percorrem todo o lado do rosto indo até o canto da boca. São responsáveis por puxar o boca para os lados, mostrando assim os dentes e ressaltando as bochechas.
Estes conjuntos de músculos são conscientemente controlados, utilizados para sorrisos falsos

Orbiculares Ópticos

Como o próprio nome já sugere este conjunto de músculo é responsável em puxar os olhos.
É independente do Zigomático Maiores

Orbiculares óptico é responsável pelos pés-de-galinha que surgem ao passar dos anos.

Em resumo para encontrar um sorriso sincero tente achar as marcações (pés-de-galinha) nos cantos dos olhos.

Imagem A = Um sorriso pouco sincero é realizado somente com a boca.

Imagem B = Um sorriso completo.

Sinais de um Sorriso Verdadeiro

  • Contração dos olhos e rugas nos cantos dos olhos são sinais verdadeiros de Sorriso.
  • Similaridade do lado direito e esquerdo do rosto também é sinal de sorriso verdadeiro.
  • Bastante: Levantamento e marcação das bochechas é outro sinal de sorriso verdadeiro.

Sinais de Sorriso Falso

  • Lábios fechados tendem a esconder um Segredo. Opinião ou Atitude Segreto.
  • Sorrir é um conjunto. Ao olhar somente para os olhos conseguimos identificar também o sorriso.
  • O levantamento de um dos lados dos lábios (sorriso torto) significa Sarcasmo

Sorrir é um remédio
Veja abaixo detalhes positivos quando sorrimos

  • É comprovado cientificamente que pacientes otimistas / sorridentes tem resultados melhores e mais significativos.
  • Ao sorrir todos os órgãos de nosso corpo são afetados positivamente.
  • Sorrir aumenta o oxigênio em nosso sangue melhorando a circulação em nosso corpo.
  • Você já ouviu falar que uma boa risada é um santo remédio?
  • Crianças sorriem até 400 vezes por dia enquanto os adultos em média somente 13 vezes.
  • Em resumo os adultos tendem a ficar mais sérios e a rir menos.
  • Tome muito cuidado com lugares que você frequenta ou onde você trabalha.
  • Pois trabalhar em lugares tristes pode ser prejudicial a saúde. Sendo mais fácil entrar em depressão, obter baixo autoestima.
  • Em resumo: O meio influência muito em nosso comportamento.
  • O humor aumenta a probabilidade de Vender!
  • Em anúncios publicitários, fazer o possível cliente sorrir ao ler ou ver sua publicidade ajuda na hora da venda. Naturalmente é criado um pequeno vínculo entre a marca e o cliente.
  • Falando do ponto de esforço físico. Precisamos de apenas 14 músculos para sorrir. Já para franzir a testa 72.
  • Quando sorrimos estimulamos a produção de endorfinas, analgésicos naturais de bem-estar que ajuda a aliviar o estresse.

Como identificar um sorriso falso?
A grande maioria das pessoas não conseguem identificar um sorriso falso e assim ficam satisfeitos pelo simples fato de receber um sorriso.

Talvez você ache que o mentiroso sorri bastante; mas estudos comprovam que quando a pessoa está mentindo ele tende
a sorrir menos.

Praticamente o sorriso falso é o famoso X que escutamos ao bater uma foto;

Os fotógrafos dizem:
Digam Xxxxxs.

O Resultado é um sorriso forçado e pouco sincero.
Pois apenas estão mostrando os dentes. Sem nenhuma ligação com os olhos.

O mentiroso ao sorrir segura por mais tempo o sorriso, forçando para que você o veja.
Muitas vezes não há simetria no rosto.
É o famoso sorrir de uma lado da boca, fechar mais um olho etc…

Normalmente o lado ESQUERDO do rosto é mais marcante; destacando assim um sorriso forçado.

 

Aprenda a Fazer Barrinhas de Cereal.

Como fazer Barrinha de Cereal

Além de ser uma excelente opção para você não ficar sem a sua primeira, e mais importante refeição do dia, ainda fornecem a nutrição equivalente a cereais e frutas que você deveria comer diariamente. São uma alternativa rápida para você e seus filhos fazerem uma refeição saudável e balanceada.

Este tutorial tem como objetivo ensinar você a fazer suas próprias barrinhas de cereal, e ainda a pensar qual a importância de cada um dos ingredientes.
Além de apresentar qual o melhor uso para as barras, você aprenderá algumas das principais (e mais deliciosas) receitas doces e salgadas. Receitas como barrinha de pavê, a clássica barrinha de frutas ou a barrinha de coco com cobertura de brigadeiro. Nas salgadas, algumas propostas bem ousadas como a barrinha de fígado, ou a barrinha de calabresa.

 

Muitas opções no mercado têm mais do que ingredientes nutritivos, e trazem na sua composição muita gordura, açúcar e conservantes que podem não contribuir com alimentação de sua família. Além do mais, o consumo diário pode acabar pesando no seu bolso.

Então, você já pensou em fazer as suas próprias barras de cereal com frutas frescas? Já imaginou receber encomendas de seus amigos, vizinhos ou colegas de trabalho, e ganhar um dinheiro extra?

Curso De Liderança

“Você é um bom líder?” Tal pergunta, frequentemente perguntada em concursos e entrevistas de emprego, amedronta candidatos e pode botar em xeque sua colocação em algum emprego ou negócio.

Mas afinal, o que é realmente ser líder? Ao contrário do que muitos pensam, ter capacidade de liderança não é apenas mandar em sua equipe ou ordenar cegamente seus subordinados. É necessário possuir estratégias para incentivar o bom trabalho, capacitar sua equipe, saber como controlar situações difíceis e como lidar com as pessoas.

Trabalhar em grupo não é algo fácil, e liderar está muito ligado com o perfil das pessoas. Porém, se você acha que não tem espírito de liderança, saiba que pode muito bem desenvolver um com exercícios e treinos fáceis. Veremos agora o que é exatamente o conceito de liderança, como isso se aplica no mercado de trabalho e a melhor forma de aprender a ser um líder.

 

CONCEITO DE LIDERANÇA

Como já dito, ao contrário do que muitos pensam, ser líder não se resume apenas em ordenar uma equipe, mas sim motivá-la, organizá-la e influenciá-la para que seus membros realizarem o trabalho com competência, ânimo e mais tranquilamente. Ter habilidades de liderança é algo muito exigido atualmente no mercado de trabalho, sobretudo em níveis hierárquicos mais altos em uma empresa, já que em todo setor deve haver uma pessoa apenas para liderar o corpo de funcionários.

O conceito de liderança sempre foi algo muito estudado e debatido; as formas de se liderar, aspectos de um indivíduo que o fazem mais apto a liderar, entre muitos outros pormenores. A partir destes estudos, foram definidos quatro tipos de liderança, que se referem ao modo de pensar e agir do líder de uma equipe: a autocrática, a democrática, a liberal e a paternalista.



O líder autocrático é aquele que costuma desconsiderar a opinião dos liderados antes de tomar uma decisão. Autoritário, frio e dominador, costuma dar instruções e dar ordens sem pensar muito nas opiniões alheias e pouco considera comentários negativos sobre o assunto. Apesar de ser um tipo temido de líder, decerto o autocrático consegue bons resultados neste método de liderar.

Já o líder burocrático é o extremo contrário. Gosta de trabalhar em colaboração com todos os envolvidos, ouvindo, respeitando e analisando todas as opções, opiniões e críticas de forma aberta. É mais amigável com a equipe e gosta de se sentir membro direto dela, sem deixar subir á cabeça o cargo de liderança.

Liberal é um estilo ligeiramente raro de se encontrar. São aqueles casos em que os membros da equipe possuem grande senso de auto-liderança, não necessitando efetivamente de um líder para dar continuidade organizada do trabalho.

Por fim, a liderança paternalista é um modo negativo de se liderar, já que é aquele em que o responsável pela equipe possui demasiado afeto com os membros da mesma, construindo o que chamam de “relação pai e filhos”. Porém, este tipo de relação não costuma ser bem vinda em um ambiente profissional, desde que as emoções falam mais alto do que o senso de dever e trabalho.

Existem ainda outros tipos de liderança, mas que não são tão populares e estudados como os acima.

DESENVOLVIMENTO DE CAPACIDADE DE LIDERANÇA 

Como já dito, capacidade para liderança é algo muito exigido e requisitado em várias vagas de emprego. Porém, não são todas as pessoas que contam com essa habilidade de nascença. Felizmente, é possível desenvolver liderança com a ajuda de estudo, treino e exercícios fáceis.

Em nosso curso é possível encontrar diversos materiais de referência sobre o tema, inclusive indicações de livros de liderança, que abordam vários aspectos do assunto como a psicologia humana, motivação, como lidar em diversas situações e até mesmo alguns exercícios para fixação do aprendizado.

O curso oferece certificado de conclusão. Uma boa dica é estudar não somente o tema centrado, mas também suas diversas vertentes; a mais importante delas é a motivação dos funcionários, que demanda toda uma arte e métodos que mexem diretamente com o emocional dos liderados.

SEJA UM LÍDER DE SUCESSO

Se você já foi liderado, certamente entende a importância de ter um bom líder, competente, racional, e que saiba o que está fazendo. Sem ele, uma equipe certamente está fadada ao fracasso e o trabalho dificilmente irá prosseguir de modo positivo. Todo mundo, de um modo ou de outro, precisa de uma pessoa para dirigi-las, motivá-las e ouvi-las quando não sabem o que fazer.

Nosso objetivo com o Curso de Liderança é preparar você para conduzir uma equipe. Deste modo, certamente não desapontará seus liderados, os conduzirá pelo caminho certo e o trabalho final será satisfatório para ambos os lados.

 

Curso completamente gratuito de WordPress = Criação de Sites / Blogs!

Você já imaginou Instalar um site em 5 minutos? Escolher o Layout entre milhares de modelos? Adicionar outras mil funcionalidades através de plugins? Isso tudo apenas com o clique do mouse e completamente gratuito?

Conheça o WordPress através do nosso curso gratuito.

 

O WordPress foi concebido inicialmente para a criação de wordpress blogs, na época em que os blogs pessoais tornaram-se uma verdadeira febre na internet, mas graças a colaboração de desenvolvedores e voluntários espalhados por todo o mundo, logo tornou-se um poderoso sistema CMS. Mais do que saber lidar com uma simples ferramenta de criação, dominar o WordPress pode representar uma excelente profissão, uma vez que a demanda por profissionais capacitados nesta ferramenta cresceu muito, graças a maciça utilização da plataforma .

TELA ONDE SE PROCURA E INSTALA OS PLUGINS:

Mas por que o WordPress faz tanto sucesso?

Em primeiro lugar, por que é um sistema simples. Ele dispensa o usuário da necessidade de conhecimentos em linguagens de programação. Sua instalação por exemplo, leva menos de cinco minutos. Isso mesmo, em apenas cinco minutos você tem seu site instalado, sem complicações e com um assistente que o direciona, passo a passo, durante todo o processo , fornecendo informações detalhadas, de forma bem clara e simplificada.

Após a instalação, você é encaminhado para o wordpress login, uma página que lhe dará acesso ao Painel Administrativo, de onde poderá configurar totalmente sua instalação, selecionando temas, plugins, autorizações de acesso, bem como já estará apto a publicar sua primeira postagem que poderá incluir texto e elementos de mídia, como imagens, vídeos e músicas.

Custo Zero!

A esta altura, você pode estar pensando que o WordPress, pela extensa variedade de recursos que possui, deve custar uma fortuna. Aí é que está um importante diferencial, o WordPress não custa nada, é de graça, e você pode fazer o seu download e utilizá-lo sem pagar nada por isso. Mas as funcionalidades do WordPress não se restringem apenas à linguagem de programação e mostra-se muito eficiente também em relação ao layout, afinal, basta uma rápida passada por sites espalhados na internet para que possamos perceber que a preocupação com o visual é constante, o que faz com que muitos sites hoje em dia,possam ser considerados verdadeiras obras de arte, tal os recursos e a sofisticação encontrada em seus elementos visuais.

E o WordPress vem mais uma vez de encontro a estas necessidades, oferecendo recursos de implementação simplificados na plataforma , permitindo uma extraordinária flexibilidade de adaptação do layout, através da utilização de templates, ou temas , que tornam possível uma total customização do site, indo de encontro as suas necessidades ou as demandas e solicitações de seu cliente.

TELA ONDE SE PROCURA E INSTALA OS TEMAS  DO SITE:

Os chamados wordpress free themes, são templates pré configurados, disponibilizados para download e utilização de forma gratuita, e que permitem que se mude a interface da plataforma de forma ostensiva.

A funcionalidade dos temas também se estende aos wordpress plugins, que funcionam como uma espécie de módulo, que podem ser integrados a uma instalação original do WordPress, conferindo-lhe uma gama ainda maior de funcionalidades e aplicações. Para que você tenha uma ideia do poder do WordPress , hoje estão a disposição para download no site da comunidade , nada mais nada menos que16.780 plugins gratuitos, que permitem a implementação de funcionalidades interessantes como , por exemplo, a integração com redes sociais, inserção de players de música, comunicadores instantâneos, entre outros.



Através de plugins, é possível até transformar uma instalação do WordPress numa plataforma de rede social, como o Orkut ou o Facebook, incorporando interação social entre os membros da comunidade A instalação de temas e plugins no WordPress também foi pensada e desenvolvida de forma a proporcionar rapidez e facilidade ao programador. Através do painel administrativo, com o simples clique de um botão, os recursos são instalados, de forma automática e transparente, quer seja de um arquivo baixado previamente em seu computador , quer seja diretamente do site da comunidade, em poucos segundos ,você tem a possibilidade de mudar a cara e tornar seu site ainda mais poderoso.

Se você ficou curioso e quer aprender mais sobre WordPress, faça o curso gratuito que a IdealGratis preparou.

 

Construa uma Impressora 3D

Para quem nunca ouviu falar em Impressora 3D: Saiba que estamos a alguns passos de uma nova revolução Industrial!

Simplesmente você poderá Imprimir qualquer objeto físico. Seja em Plástico ABS ou Gesso!

A tendência é você baixar da internet  pacotes (IdealGratis irá fornecer) que irá conter:

  • Os desenhos técnicos para impressão, feitos em atuais programas vetoriais 3d e,
  • um guia prático de como montar as peças que você fez.

Exemplo de produtos impressos em 3d:

 

Desenhos 3D

Isso é completamente fabuloso! O que hoje custa uma fortuna para modelar e somente é feito por empresas, amanhã qualquer usuário doméstico irá baixar ou desenhar e imprimir!

Esta foi uma breve introdução, nosso objetivo com o curso à oferecer é ENSINAR VOCÊ A FAZER SUA IMPRESSORA 3D!

Isso mesmo! É possível você construir sua impressora 3D pois existe um projeto Chamado: Impressora 3D RepRap Mendel que é OpenSource (código aberto) isso é: Toda informação para sua total construção é documentada e livre, está disponível publicamente com a Licença GPL! Iremos fornecer também os lugares que você poderá comprar as peças separadas para montá-la!

Veja a Foto de uma Impressora 3D Open Source!

Impressora 3d Open Source

O mais interessante destas impressoras Open Source é que Todo material de plástico utilizado nelas foram feitos (impressos) nelas em 3D !
O nome desta impressora é Glider 3.0!

Não se preocupe você também pode comprar ela pronta por : $ 1395,00



OBJETIVO DO CURSO:

  • Ensinar gratuitamente  as informações necessárias de como construir Impressoras 3D, onde comprar determinadas peças.
  • Disseminar o conhecimento para aumento da concorrência, tornando esta tendência cada vez mais próxima e de baixo custo.

Principal vídeo explicativo sobre:

 

Ao se cadastrar; procure na lista dos mais de 430 cursos grátis o título: Building 3d printer

Este cursos é apresentado 100% em Inglês.

 

Curso De Corte Costura


O que você irá aprender:curso costura

  • Preparação do Tecido
  • Estrutura dos Tecidos
  • Dicas para compra de Tecidos
  • Como reconhecer o Avesso e o Direito do Tecido
  • Como Trabalhar com Tecidos Delicados, com Pêlos, Lisos e Transparentes, com Elastano, com Fios metálicos e Rendas
  • Relação de Tecido, Agulha, Linha e Ponto
  • Sobre o Risco e o Corte
  • Sobre o Passar do Ferro
  • Acabamentos Finos Manuais
  • Acabamentos Finos a Máquina
  • Princípios de Composição do Vestuário
  • Etiqueta no Vestir
  • Como reconhecer e adequar tipo de Silhueta

 

1. TECIDOS

 

O conhecimento do tecido é importante quando se vai montar uma peça. Use o conhecimento é adquirido na disciplina de Tecnologia Têxtil para escolher o melhor tecido para seus trabalhos. Não se esqueça de olhar a composição e anota-la na ficha técnica.

 

Urdume: fio vertical, paralelo á ourela, possui menos elasticidade. A roupa cortada no sentido do urdume é dita “cortada no fio”. Este sentido dá à roupa um aspecto menos volumoso.

 

Trama: sentido horizontal, perpendicular à ourela, possui mais elasticidade. Raramente se corta uma roupa na trama, com exceção dos tecidos que possuem barra neste sentido.

 

Viés: sentido diagonal em relação à ourela possui mais elasticidade que a trama. Uma peça cortada no sentido do viés tem o caimento mais suave.

 

Curso de corte e costura

 

PREPARAÇÃO DO TECIDO

 

Quando compramos um tecido geralmente os vendedores rasgam o mesmo puxando por uma das pontas e isso faz com que as beiradas fiquem desiguais, sendo preciso acertá-las.

 

  1. Corte a ourela com a tesoura;
  2. Puxe um fio do tecido;
  3. Corte cuidadosamente ao longo do fio puxado até atingir a outra ourela.

 

O tecido também pode ter sofrido alguma distorção na fábrica, de modo que a trama e o urdume não estejam perfeitamente perpendiculares. Neste caso, é preciso fazer o alinhamento dos fios.

 

  1. Coloque o tecido sobre uma superfície plana e dobre, juntando as ourelas. Se o tecido ficar enrugado, precisa ser acertado seguindo os passos seguintes.
  2. Puxe o tecido no viés em todo o seu comprimento, até que fique alinhado;
  3. Passe a ferro o tecido antes de cortar.

 



 

É muito importante tomar todos estes cuidados para corrigir as distorções do tecido antes de cortá-lo, porém, devemos ter conhecimento de que nem sempre é possível fazer tais correções. Alguns tecidos como os que possuem acabamento à prova d’água, vinco permanente ou forro colado, não permitem que seja feito este realinhamento da trama. No caso de tecidos que têm a tendência para encolher ou quando se tem a intenção de fazer uma peça com dois ou mais tecidos diferentes, é aconselhável molhar estes tecidos e deixá-los secar à sombra antes de cortar. Quando o tecido estiver muito enrugado é importante passar a ferro, para que não ocorra qualquer alteração do molde.

 

ESTRUTURA DOS TECIDOS

Todos os tecidos de tear são produzidos pelo entrelaçamento de dois tipos de fios: os da teia (dispostos no sentido do comprimento) e os da trama (no sentido da largura). Os fios da teia são dispostos perpendicularmente aos da trama. A estrutura do tecido pode ser modificada alterando o padrão de entrecruzamento da teia e da trama. Existem três tipos fundamentais de estruturas – tafetá, sarja e cetim -, sendo o restante, em sua maioria, variantes destes três tipos, com exceção da estruturaJacquard.

Devido à sua estrutura ou ao seu acabamento, os tecidos mais finos e delicados exigem cuidados especiais. O conhecimento das características destes tecidos é importante para determinar o modelo, o tipo de acabamento e os equipamentos e utensílios adequados.


Conhecer as principais estruturas dos tecidos é de grande utilidade para que você saiba identificar um tecido, mesmo que não haja nenhuma informação mais específica na etiqueta de fábrica, pois nomes dados aos tecidos variam muito de fabricante para fabricante. Saber qual a estrutura do tecido pode ser de grande utilidade para decidir a sua utilização, o seu manuseio e que tipos de acabamentos poderão ser feitos na peça a ser confeccionada.

Estrutura tafetá: esta é a estrutura mais simples, onde os fios da trama passam alternadamente sobre e sob os fios da teia. A tenacidade varia em função da resistência dos fios e da compacidade da sua estrutura. Exemplos: tafetá, musselina, voile, percal.
Estrutura sarja: é uma das estruturas fundamentais em que o fio da trama passa no mínimo sobre dois fios da teia e no máximo sobre quatro.Em cada nova passagem a trama avança uma unidade para a direita ou para a esquerda, formando uma estria em diagonal. Exemplos: sarja, gabardine, danine.
Estrutura cetim: cada fio da teia passa sobre quatro a oito fios da trama, numa disposição em zig-zag. Exemplos: cetim, peau de soie, sablé.
Estrutura jacquard: esta estrutura é conseguida por meio de uma mecânica   Jacquard, que controla separadamente os fios da teia e da trama de modo a formar desenhos elaborados na superfície do tecido. Exemplos: damasco, brocado, tecidos para decoração.
Estrutura com pêlo: obtém-se acrescentando um fio de trama a uma estrutura de tafetá ou sarja. Este fio surge então no meio do tecido sob a forma de laçadas, que podem ser cortadas ou aparadas. Exemplos: veludo, pelúcia, imitação de peles.
Estrutura de brocado: nesta estrutura, um fio da trama forma um desenho sobre a superfície da estrutura de base. Este fio segue pelo avesso, de um desenho para o outro, sendo cortado no final da tecelagem. Exemplo: cambraia suíça.
Enredamento: esta estrutura forma nós nos pontos em que os fios se interceptam, formando uma teia. É a estrutura encontrada nas rendas em geral. Exemplos: tule, filó, parte em rede das rendas.
Estrutura cesto: variante da estrutura tafetá. Nesta estrutura cruzam-se fios duplos ou múltiplos, os quais são colocados lado a lado sem que sejam submetidos à torção. É uma estrutura menos firme e menos durável que a estrutura tafetá.

Estrutura Gaze: nesta estrutura os fios da teia alternam-se na sua posição, tomando a forma de um oito em torno dos fios da trama.

 

 

A COMPRA DO TECIDO

Ao comprar um tecido verifique os critérios abaixo:

  • Estrutura: deve ser firme, sem fios soltos ou rompidos, de uma espessura uniforme.
  • Fios: os fios da trama devem ser perpendiculares às ourelas. Caso contrário, o tecido está desalinhado.
  • Cor: deve ser uniforme e firme. No caso de tecido estampado, verifique se há falhas na estampa.
  • Sempre ao comprar um tecido, verifique a sua composição para saber como manuseá-lo durante a confecção da peça e como passar e lavar a peça já pronta. De preferência, anote a composição do mesmo na hora da compra.

COMO RECONHECER O AVESSO E O DIREITO DO TECIDO

Sempre devemos identificar o direito do tecido antes de cortar uma peça, pois o risco deve ser feito sempre pelo avesso. Nos tecidos que são enrolados em peça ou tubos, o direito está sempre para dentro e você deve observar isso quando estiver comprando. Outras formas de identificação são:

  • Os tecidos macios são mais brilhantes do lado direito;
  • Nos tecidos com textura, esta apresenta mais definição do lado direito e no lado avesso pode-se observar irregularidades como bolinhas ou linhas soltas;
  • Tecidos com textura no estilo brocado são mais macios do lado direito e tem fios levantados do lado avesso;
  • Nos tecidos estampados as cores são mais vivas do lado direito;
  • Geralmente a ourela dos tecidos é mais macia do lado direito;
  • Muitas malhas quando esticadas, enrolam as suas bordas para o lado direito;
  • Existem tecidos que o lado direito e o avesso são muito semelhantes, neste caso, escolha um dos lados para ser o direito e marque o avesso com giz, para não confundir.

2 – COMO TRABALHAR COM TECIDOS DELICADOS

TECIDOS COM PÊLO

Estes tecidos pertencem ao grupo de estrutura com pêlos. Há uma rica variedade deste tipo de tecido, podendo ser de fibras naturais ou artificiais. Podem ser veludos, pelúcia, peles ou imitação de peles. Podem ter pêlo curto, com a superfície aveludada, com pêlos com menos de 3mm; ou pêlo longo com superfície com pêlos com mais de 3mm. Cada tipo deste tecido precisa de cuidados específicos. Os veludos podem ser feitos de seda, de acetato e ou de raiom.
Risco e corte

  • Nos tecidos de pêlo curto, você pode cortar com sentido do pêlo para cima, para obter um efeito de cor mais viva, e com sentido do pêlo para baixo, para obter um tom mais opaco;
  • Nos tecidos de pêlo longo, corte sempre com o sentido do pêlo para baixo.
  • Coloque as partes do molde sempre sobre o lado avesso do tecido;
  • Risque cuidadosamente as partes do molde com giz e corte rigorosamente em cima da linha riscada. Separe as partes e identifique todas do lado avesso para não confundi-las.

Montagem

  • Antes de costurar, prenda as partes com alfinetes ou alinhave;
  • Mantenha as margens de costura regulares;
  • Costure apenas uma vez, pois se a costura for desfeita, deixará marcas no tecido;
  • Deve-se utilizar uma agulha fina de ponta arredondada (ponta bola);
  • As costuras devem ser feitas de preferência seguindo o sentido do pêlo;
  • Para os tecidos de pêlo alto, deve-se tomar também o cuidado de regular a tensão da máquina e aumentar o comprimento do ponto;
  • Nos tecidos de pêlo alto, elimina-se o excesso de volume nas margens de costura aparando o pêlo neste local;
  • Para os veludos, recomenda-se o acabamento da bainha com debrum, podendo este ser uma tira de tule. Em seguida vira-se a bainha e costura-se com um ponto invisível.

Passar a ferro

  • Para passar o veludo de algodão a ferro, coloca-se uma pano tipo flanela ou sarja e por cima deste outro tecido de algodão cru, e sobre este é que o ferro será passado;
  • Para passar o veludo de seda ou sintético, coloca-se o ferro com a base para cima e desliza-se suavemente sobre este o avesso do veludo. Quando se tratar de abrir costuras, dá-se com o ferro em temperatura baixa, ligeiras pancadinhas sobre a costura, pelo lado avesso da peça;
  • Tome cuidado para que a temperatura do ferro esteja sempre baixa, pois temperaturas elevadas podem derreter o veludo. Durante a montagem, passe a peça a ferro o menos possível, e quando o fizer faça sempre pelo avesso;
  • Da mesma forma, passe os tecidos de pêlo alto pelo avesso, fazendo o mínimo de pressão para evitar amassar o pêlo.
  • Para abrir costuras, utilize o bico do ferro ou apenas os dedos.


TECIDOS LISOS E TRANSPARENTES

Risco e corte

  • Estenda o tecido sobre uma superfície plana e lisa;
  • Prenda as partes do molde ao tecido com alfinetes finos ou corte as partes do molde em papel de seda e una-as ao tecido por alinhavos, costurando papel e tecido juntos, para que o tecido não deslize;
  • Se for riscar o tecido, faça-o sempre pelo lado avesso;
  • Quando o molde tiver partes de contorno bem definido, corta-se em papel de seda, já com as margens, alinhavando em seguida estas peças ao tecido e recortando tudo junto;
  • Ao costurar as partes, deve-se manter o papel de seda, só retirando este após ter terminado de unir as partes.

Montagem

  • Costure apenas uma vez, pois os pontos depois de retirados deixam marcas no tecido. Para isso é necessário alfinetar ou alinhavar sempre as partes antes de unir;
  • Deve ser manuseado com cuidado, pois amarrota, suja e desfia com facilidade.
  • Para evitar que o tecido escorregue ao costurar, coloque tiras de papel de seda entre o tecido e o impelente;
  • Ajuste o comprimento e a tensão do ponto para evitar que o tecido franza com a costura. A tensão deve ser reduzida e o ponto deve ser pequeno;
  • Para evitar que o tecido estique, prenda sempre as partes com alinhavos;
  • Use agulha de máquina fina de ponta arredondada;
  • Os detalhes de montagem nos tecidos transparentes devem ter acabamento perfeito, por serem visíveis do lado direito. Nestes casos, pode-se recorrer a costuras francesas ou debruadas;
  • Os tecidos transparentes podem ser arrematados com uma simples bainha virada. Nos tecidos mais maleáveis, pode-se aplicar uma bainha em rolinho. Estas bainhas podem ser feitas à mão ou à máquina, com o auxílio de um pé calcador-embainhador.

Passar a ferro

  • Passe a seco, pois a água pode manchar o tecido;
  • A tábua de passar deve ser coberta com um tecido macio e a temperatura do ferro deve ser sempre baixa;
  • O ferro só deve entrar em contato direto com o tecido quando for necessário. Utilize um tecido de algodão para proteger enquanto passa. Para abrir as costuras deve-se usar apenas a bico do ferro, sem pressionar;
  • Antes de passar, faça um teste num pequeno retalho, para saber se o tecido tem a tendência a encolher ou franzir ao ser passado;

TECIDOS COM ELASTANO

Atualmente a Indústria Têxtil tem produzido tecidos finos como crepes, veludos e rendas com fios de elastano, para dar mais aderência e conforto às roupas mais sofisticadas. Porém, a utilização destes tecidos é bem mais difícil. São precisos alguns cuidados no corte e na montagem das peças feitas com tecidos que contenham fios de elastano.

Risco e corte

  • Estenda o tecido sobre uma superfície plana e lisa, com cuidado para não esticá-lo;
  • Prenda as partes do molde ao tecido com alfinetes finos, pois os alfinetes mais grossos podem romper os fios de elastano e deixar marcas no tecido;
  • Se o tecido tiver a tendência a deslizar, corte as partes do molde em papel de seda como já foi explicado acima;
  • Se for riscar o tecido, faça-o sempre pelo lado avesso;


Montagem

  • Para evitar que as costuras arrebentem, utilize linha adequada ao tipo de fibra do tecido e agulha fina de ponta arredondada;
  • Nos locais onde a elasticidade não for conveniente (como nos ombros, por exemplo), costure uma fita de tecido como reforço;
  • Para que as partes não estiquem ao serem costuradas, alinhave antes e se for preciso, faça pontos de fixação em locais estratégicos;

Passar a ferro

  • Manuseie suavemente o tecido, para evitar que este se distenda ou deforme;
  • Para evitar que as margens das costuras deixem marcas do lado direito, coloque tiras de papel por baixo destas;
  • Use ferro com temperatura baixa.

TECIDOS COM FIOS METÁLICOS

Os tecidos para noite ganham um glamour a mais quando têm em sua trama fios metálicos, o que lhes confere brilho e um aspecto luxuoso. Estes fios metálicos são geralmente muito frágeis e é preciso atenção para não danifica-los.

Risco e corte

  • Estenda o tecido sobre uma superfície plana e lisa;
  • Ao cortar o tecido tenha cuidado para não puxar ou deformar os fios metálicos durante o corte;

Montagem

  • Costure apenas uma vez, pois os pontos depois de desmanchados deixam marcas no tecido;
  • Para evitar que os fios metálicos se partam ao costurar, utilize uma agulha fina e por precaução, verifique sempre se a sua ponta está em forma;
  • Forre a peça para evitar que os fios arranhem a pele.

Passar a ferro

  • Passe o a seco, pois os fios metálicos perdem o brilho pela ação do vapor;
  • Passe com o ferro em temperatura sempre baixa.

RENDAS

A renda é um tecido de trama muito aberta, geralmente combina estrutura de enredamento e bordados com ou sem relevo. As rendas podem ser leves ou pesadas.
Risco e corte

  • Corte a renda procurando conservar todos os desenhos na mesma direção, de forma que haja uma continuidade sem interrompê-los;
  • O forro deve ser cortado em primeiro lugar. Deve ser de uma cor harmoniosa com a renda e a composição de sua fibra também tem que ser compatível com a renda que será utilizada;
  • Corte a renda de acordo com o forro e transfira todas as marcações para o forro. Uma boa opção é riscar as partes do molde em papel fino, prendendo o papel à renda com alfinetes e cortar os dois juntos. Depois de cortadas as partes, retire o papel;
  • Risque cuidadosamente as partes do molde com giz sobre o forro, cortando em cima da linha riscada. Separe as partes e identifique todas do lado avesso do forro e prenda com alfinetes as partes de renda e de forro correspondentes, para não confundi-las.
  • Da mesma maneira que a renda leve deve ser cortada procurando conservar todos os desenhos na mesma direção, de forma que haja uma continuidade sem interrompe-los. Os desenhos nas costuras laterais e nos ombros devem ser harmoniosos;
  • Todas as marcas de costuras devem ser feitas pelo avesso da peça, através de alinhavos

Montagem

  • Para evitar que a renda deslize ao costurar, coloque tiras de papel de seda entre o impelente e o tecido;
  • Use agulha de máquina “ponta bola” nº 11 e de mão nº 10, bem fina e longa, se a renda for fina. Se a renda for mais pesada, pode ser usada uma agulha mais grossa;
  • Se for colocar forro solto, todas as costuras feitas na renda devem ter acabamento perfeito. Para isso, pode-se recorrer a costurar debruadas;
  • Se a renda exigir forro preso, este deve ter a função de entretela, de forma que a renda se uma a ele, formando uma tela única. O forro deve ser preso à peça por meio de alinhavo diagonal, sobre uma superfície plana;
  • A bainha deve ser feita com todo o cuidado, de forma a manter o desenho na posição certa. Nas rendas pesadas, a barra pode ser recortada, aproveitando o contorno do desenho;
  • Para bainhas em renda pesada, recomenda-se uma bainha postiça. Para uma renda leve, recomenda-se a bainha em rolinho ou a aplicação de uma tira para reforçar. Pode-se ainda optar-se pela aplicação de uma renda decorativa como arremate da bainha, costurada com ponto de luva ou zig-zag. Algumas rendas permitem que se recorte o contorno dos motivos, sendo isso suficiente para o acabamento da barra.

Passar a ferro

  • Proceda cautelosamente ao passar peças com renda. A temperatura do ferro deve ser correspondente à fibra;
  • A renda deve ser passada o menos possível, pelo avesso, protegida por um tecido;
  • A tábua de passar deve ser bem acolchoada, por causa da delicadeza da renda.
 

3 – RELAÇÃO TECIDO, AGULHA, LINHA E PONTO
Para obter os melhores resultados, escolha sempre uma agulha de número e ponta adequados ao tecido. A agulha mais fina é de nº 9 e a mais grossa é de nº 18. Quanto mais leve o tecido, e mais fina a linha, mais fina deverá ser a agulha. Você deve ter em mente que cada máquina de costura tem o seu tipo específico de agulha, portanto, antes de colocar a agulha procure ter certeza de que esta é adequada à máquina. Existem também agulhas duplas ou triplas, para fazer costuras decorativas.


Partes da agulha:

  • Tronco ou cabo: é a parte superior da agulha;
  • Lâmina ou haste: trata-se do corpo da agulha;
  • Concavidade: é a reentrância que há por trás do fundo da agulha. Serve para facilitar a passagem da linha;
  • Buraco ou fundo: está situado imediatamente acima da ponta;
  • Ponta: é a parte que penetra no tecido, formando a costura;
  • Fresado: é uma ranhura que há em um dos lados do tronco, para facilitar o desdize da linha, sendo portanto, o lado pelo qual a linha deve ser enfiada.

Tipos de pontas:

  • ponta fina: utilizada mais freqüentemente, é a agulha “comum”. É indicada para todos os tipos de tecidos.
  • ponta arredondada: é especialmente indicada para costurar todos os tipos de malhas, pois não rompe os fios de elastano . Também pode ser utilizada em tecidos finos e delicados.
  • ponta facetada: esta agulha é indicada para costurar couro e materiais vinílicos.

O quadro abaixo tem as indicações de agulhas, linhas e comprimento de pontos adequados aos vários tipos de tecidos:

Peso e tipo de tecido
Linha
Comprimento do ponto
Agulha
Tipo
Tamanho
Delicado – tule, chiffon, renda fina, organza, veludo de seda.
Linha fina de poliéster, náilon ou algodão.
1 – 1,5

2020

15 x 1
9
Leve – cambraia, organdi, voal, tafetá, crepe, veludo de seda, plástico fino, cetim, seda macia, palha de seda, shantung, brocado.

Poliéster misto com algodão

100% poliéster

Algodão mercerizado 50

Náilon “A”

Seda “A”
1 – 1,5

2020

15 x 1
11
Médio – algodão leve, linho, madras, percal, pique, chitz de linho, faile, veludo cotelê fino, veludo de algodão, casimira, vinil, tecidos de veludo, lã fina, sarja.

Poliéster misto com algodão

100% poliéster

Algodão mercerizado 60

Algodão 60

Seda “A”

1,5 – 2

2020

15 x 1
14
Médio-pesado – gabardine, tweed, lona, linha ou algodão grosso, sarja de Nîmes, tecidos para casacos, tecidos de cortinas, vinil, tecidos reforçados, algodão cotelê, tecido trama fechada.

Poliéster misto com algodão

100% poliéster

Algodão mercerizado grosso

Algodão 40 a 60
1,5 – 2

2020

15 x 1
16
Pesado – tecidos para sobretudo, tecidos de estofamento, lona grossa.

Poliéster misto com algodão

Algodão mercerizado grosso

Algodão 40
3 – 4

2020

15 x 1
18
Malhas e tecidos elásticos –malhas duplas, malhas fechadas, spandex, tricô de náilon, tricô oleado, jérsei, pelúcia aveludada, veludo tipo helanca.

Poliéster misto com algodão

100% poliéster

Náilon “A”

Algodão mercerizado 50

Seda “A”
2,5 – 3

2045

Ponta redonda (faixa amarela)

14
Couros – camurça, pelica, couro verniz, cobra, couros forrados, couros naturais e couros sintéticos.

Poliéster misto com algodão

100% poliéster

Algodão mercerizado 50

Náilon “A”

Seda “A”
2,5 – 3

2020 15 x 1

Ponta facetada

11

14

16

Fonte: O novo livro da costura SINGER

 

4 – RISCO E CORTE
Esta etapa é uma das mais delicadas na confecção de uma peça de vestuário, pois se deve proceder minuciosamente no risco e no corte das partes do molde, para que estas realmente se encaixem na montagem. Quando o molde é mal cortado, dificilmente a peça cairá bem e seria muito complicado fazer correções.
Como utilizar as peças do molde

  1. Reúna todas as partes necessárias ao modelo;
  2. Verifique quantas vezes deverá cortar cada peça;
  3. Se as peças do molde estiverem muito amarrotadas, passe-as a ferro;
  4. Prenda as peças do molde ao tecido com alfinetes ou alinhavos.

Como prender o molde ao tecido

  1. Comece a prender os alfinetes sempre partindo da dobra do tecido, passando depois para os cantos e depois para as bordas;
  2. Os alfinetes devem ser pregados diagonalmente nos cantos e perpendicularmente às beiradas, com as pontas para fora do molde;
  3. Utilize apenas os alfinetes necessários, exceto em tecidos maleáveis e escorregadios;
  4. Estude a posição de todas as peças do molde antes mesmo de riscar;
  5. Depois que fizer o risco, siga-o rigorosamente.

Processos de marcação

A marcação consiste em transferir as indicações do molde para o tecido. Deve-se marcar as linhas de costura, as pences, os pontos de encontro, as partes que serão dobradas, etc. As marcações podem ser feitas com carbono e carretilha, ou giz.
Para marcar com carretilha e papel carbono, coloque o papel carbono sobre o avesso do tecido e por cima deste o molde correspondente. Em seguida passe a carretilha seguindo todas as marcações contidas no molde, para reproduzi-las no tecido. Este processo de marcação é aconselhável para tecidos lisos e opacos.
Para marcar com giz, uma o tecido à parte do molde correspondente, em seguida, espete alfinetes por cima de cada marcação. Faça as marcações com o giz seguindo o caminho dos alfinetes. Este método é aconselhável para tecidos mais delicados ou multicoloridos, onde a marca do carbono não seria muito visível.



Como cortar

Antes de cortar certifique-se se é necessário dobrar o tecido. Em caso afirmativo, isto deve ser feito com o máximo de precisão, unindo as ourelas perfeitamente, prendendo-as com alfinetes. Verifique também se há alguma falha de fabricação no tecido, para não cortar uma das partes do molde neste local. Lembre-se de sempre dobrar o tecido unindo direito com direito.
Para cortar o tecido perfeitamente, mantenha o tecido bem esticado sobre uma superfície lisa adequada para o corte e siga as orientações alistadas abaixo:

  1. Utilize uma tesoura adequada para este fim. Verifique sempre se as lâminas estão bem afiadas, para que estas não “mastiguem” o tecido. Tenha cuidado para não prender os alfinetes entre as lâminas da tesoura, ao cortar, pois isso prejudica as mesmas;
  2. Durante o corte segure o molde com uma das mãos, para que este não saia do lugar;
  3. Não levante o tecido da superfície em que ele se encontra enquanto estiver cortando;
  4. Corte junto às margens do molde, com golpes longos e firmes nas partes mais retas e golpes curtos nas partes curvas e nos cantos;
  5. Deixe a tesoura deslizar livremente, tendo o cuidado para não cortar o molde, pois além de danificá-lo, poderá haver uma alteração na margem de costura.

5 – PASSAR A FERRO

No processo de montagem de uma peça de vestuário, é muito importante passar a ferro à medida que se costura. Pode ser uma coisa dispensável, porém, isto irá garantir o bom caimento da peça e evitará qualquer defeito de montagem. Para isso, deve-se ter alguns cuidados:

  1. Sempre faça um teste com um retalho do tecido antes de passar a peça;
  2. Retire alfinetes e alinhavos antes de passar a ferro, pois os alfinetes estragam o tecido e a chapa do ferro e os alinhavos podem deixar marcas. Se necessitar passar a peça o com alinhavo, use linha bem fina e alinhavos diagonais;
  3. Passe sempre pelo lado avesso;
  4. Use um pano de passar entre o ferro e o tecido a ser passado. O tipo de pano de passar irá depender do tipo de tecido a ser passado. Os únicos tecidos que dispensam este cuidado são o algodão puro e o linho;
  5. Faça o mínimo de pressão no ferro e acompanhe o sentido do fio do tecido ao passa-lo;
  6. Os detalhes que devem sempre ser passados a ferro são: costuras, pences, pregas, bolsos, golas, mangas, acabamentos de decotes, etc. Ou seja, deve-se passar a peça praticamente em todas as operações de montagem.

5 – ACABAMENTOS FINOS MANUAIS

Escolha uma agulha que seja adequada ao tecido. Para fazer os pontos a seguir, prefira agulhas mais finas e curtas para pontos pequenos, e mais longas para alinhavos. Costure com linha relativamente curta, de 45 a 60 cm para costuras definitivas. Para os alinhavos, pode ser usada uma linha maior. A linha só deverá ser dobrada para pregar botões e colchetes. Para alinhavar e fazer marcações, utiliza-se linhas de cores claras, que façam um certo contraste no tecido. As linhas muito escuras podem deixar marcas no tecido. A seguir, estão os mais utilizados pontos à mão.

BAINHAS

Para fazer bainhas viradas, dobre na altura desejada, marque e pregue os alfinetes perpendicularmente à dobra, passando um alinhavo, não esquecendo de que a bainha deve ter uma altura uniforme. Passe a bainha a ferro e costure com um dos pontos de bainha. A seguir, estão os pontos mais utilizados para fazer bainhas à mão. De acordo com o tecido, deve-se escolher o ponto que mais se aplica ao resultado desejado para a peça.

Bainha dobrada com ponto espinha de peixe: indicada para peças de tecidos médiosa pesados sem forro e que desfiam muito.

Bainha debruada com ponto espinha de peixe: indicada para peças de tecidos médios a pesados sem forro, quando a peça não tem corte reto.

Bainha com ponto Invisível: este ponto é simples e rápido, executado por dentro, indicado para tecidos leves.

Bainha com ponto clássico: é bastante prático, porém menos resistente, indicado para peças delicadas.

 

6- ACABAMENTOS FINOS À MÁQUINA
COSTURAS ABERTAS

Costura com borda rebatida: este acabamento é indicado para tecidos leves e de peso médio, em peças que não levam forros.

Costura debruada com viés: indicada para uma peça em tecido médio ou pesado que não seja forrada.
COSTURAS FECHADAS

Costura francesa: indicada para tecidos transparentes nos quais as costuras são visíveis do lado de exterior da peça.

Costura tombada: esta costura é útil para reforçar e dar mais resistência a uma parte da peça.

Sobrecostura: esta costura é muito resistente e proporciona durabilidade à peça.

Costura debruada em si mesma: esta costura dispensa qualquer acabamento e dá melhor resultado em tecidos leves que não desfiem facilmente.

Costura debruada com viés: indicada para uma peça em tecido médio ou pesado que não seja forrada.

BAINHAS

As bainhas à máquina são mais práticas e rápidas, proporcionando também muita resistência. Por outro lado podem não cair tão bem em uma peça mais social, por dar um aspecto mais informal à roupa. Abaixo estão apenas alguns dos tipos de bainhas feitas à máquina. Além destes, também há bainhas coladas, reforçadas, debruadas, etc. Para saber mais, você pode consultar um dos livros da bibliografia indicada.

Bainhas com ponto invisível: arremate resistente e relativamente discreto é uma alternativa para peças mais delicadas. Só é possível fazer em máquinas que dispõem deste tipo de ponto.

Bainha em rolinho: é uma bainha delicada e estreita indicada para tecidos delicados.

Bainha simples: é uma bainha comum, indicada para tecidos médios ou pesados.

Bainha postiça: esta bainha é indicada para peças que não têm um corte reto e não é possível dobrar a borda.



CASAS

As casas de botão podem ser verticais ou horizontais. O comprimento da casas deve ser igual ao diâmetro do botão, mais a sua espessura. As casas podem ser debruadas ou bordadas à máquina.

Casa debruada: este tipo de casa é indicado para tecidos leves e de peso médio que não desfiam e que vincam bem.

Casa bordada à máquina: é o tipo mais comum de casa, indicada para a maioria dos tecidos.

7- PRINCÍPIOS DE COMPOSIÇÃO DO VESTUÁRIO

Para trabalhar com roupas mais elaboradas é importante conhecer os princípios de composição do vestuário. Neste nicho de mercado, este tipo de peça é desenvolvido para clientes específicos que estão dispostos a pagar um preço mais elevado para ter uma roupa mais personalizada. Por isso, quem vai atender este cliente deve levar em consideração uma série de aspectos antes de fazer o projeto de uma roupa.
Estas regras não precisam necessariamente ser seguidas a risca, porém, é bom lembrar que em algumas ocasiões, não raro, há uma exigência de traje a rigor, muitas vezes expressa no próprio convite do evento. Cabe ao estilista usar a sua criatividade para elaborar peças interessantes dentro da realidade de sua clientela.

Os princípios da composição do vestuário levam em conta os seguintes aspectos:

PROPORÇÃO – significa manter as relações coerentes de dimensão das peças que comporão o “look”.

HARMONIA – tornar um “look” harmônico é fazer com que este tenha um aspecto visual agradável.

OCASIÃO – as ocasiões estão classificadas em:

  • Esporte: é o mais simples e informal. Mulheres: calças leves, camisetas coloridas, vestidos de tecidos leves, bermudas, sandálias, etc. Homens: calças de brim, camisas pólo e de manga curta, jeans, sandálias. (não é considerado na disciplina de Técnicas de Montagem III)
  • Passeio (esporte fino/tenue de ville): este tipo de traje requer um pouco de formalidade as principais ocasiões são: vernissagens, almoços, conferencias, etc. Mulheres: pantalonas, túnicas, tailleur, bolsas pequenas e salto alto. Homens: ternos com gravata, mocassins.
  • Passeio completo ou social: é um traje formal, as principais ocasiões são festas e recepções. Mulheres: conjuntos de crepe tailleurs de seda, vestidos finos, salto alto, meias finas e bolsas pequenas. Homens: terno padrão de cor escura, camisa social, gravata e sapato preto.
  • Black-tie (tênue de soirée): é o traje mais chique, noite de gala, com glamour e requinte. Mulheres: vestidos longos, sofisticados, com bordados e tecidos nobres, saltos alto, meias finas, carteiras e bolsas pequenas, e uso de jóias. Homens: smoking, camisa branca, gravata borboleta e faixa preta na cintura, sapato liso com verniz. Festas ao ar livre: smoking branco.

ETIQUETA NO VESTIR
Trajes Masculinos

Esporte: camisa sem gravata ou suéter de malha.
Esporte Completo: acrescenta-se o blazer ou paletó esportivo
acompanhado de gravata esporte.
Passeio Completo: terno padrão único para homens mais formais.
Recepção: terno escuro, camisa branca, gravata discreta. Rapazes ou
homens jovens que queiram sair mais descontraídos tendem a abolir a
gravata, usando camisa lisa e camiseta branca.
Para Entrevistas: opte por roupas sóbrias, não usando e nem
misturando cores vivas. O sapato deve combinar com o cinto, e nunca use
meias claras com calças escuras.

Trajes femininos

Esporte: calça comprida, bermuda. Saia e blusa. Não se deve usar este
tipo de roupa em cerimônias oficiais.
Esporte Completo: são os tailleurs, vestidos e chemisier.
Passeio Completo: usa-se vestido, tailleur, sapato scarpin; pode
acompanhar uma bolsa pequena combinando com o sapato e/ou cinto.
Recepção: o traje de recepção é feito por vestidos de deux pièces
(saia/blusa, ou tailleur) em tecidos nobres.
Para entrevistas: evite roupas decoradas ou curtas, prefira roupas
sóbrias e discretas; evite as roupas de tecidos transparentes ou muito justas.




TIPO FÍSICO

Além da ocasião em que a roupa será usada, deve-se levar também em consideração o tipo físico ou biótipo do cliente a fim de fazer com que a roupa lhe caia bem. Os principais biótipos são:

  • Longilineo: é o tipo manequim, pouco busto, pouco quadril, pernas alongadas e estatura acima de 1,64m, geralmente todas as peças de roupas caem bem.
  • Mini-longilíneo: as mesmas características do longilineo, apenas com estatura inferior. Deve tomar o cuidado apenas de não usar comprimentos muito longos para não achatar a silhueta.
  • Triangular: pouco busto, ombros estreitos, quadris largos, deve usar roupas que proporcione volume ao busto e não usar peças inferiores volumosas.
  • Triangular invertido: contrario ao triangular, ombros largos, busto volumoso e quadris estreitos, valorizar o busto e procurar usar roupas que dêem mais volume aos quadris.
  • Quadrado: ombros e quadris da mesma largura, cintura não muito definida, estatura mediana, não deve usar roupas muito justas.
  • Forte: muito parecida com o quadrado, porém mais alto.
 

8. COMO RECONHECER O TIPO DE SILHUETA

A silhueta varia de pessoa para pessoa. A estatura é uma das indicações do tipo de silhueta, juntamente com o comprimento do tronco e a localização da linha do busto, da cintura e do quadril.
COMO ADEQUAR O MODELO AO TIPO DE SILHUETA

Para favorecer a silhueta, além de escolher o tecido mais adequado, devemos atentar para quatro elementos básicos: a linha, o detalhe, a textura e a cor. Cada um destes tem o poder de criar ilusões, porém, para tirar partido destes efeitos, é necessária uma análise realista do tipo de figura e decidir que características podem ser realçadas ou disfarçadas.
As linhas principais de uma peça de vestuário são aquelas que formam a silhueta ou linha de contorno. Podemos distinguir quatro tipos de formas: justo, semijusto, ligeiramente solto e solto. Uma peça justa ao corpo realça os contornos, enquanto que quanto mais solta a roupa, mais despercebida ficará a forma do corpo. Na elaboração de modelos sob medida, deve-se procurar o equilíbrio e a harmonia – a relação esteticamente agradável entre todos os elementos.

LINHAS ESTRUTURAIS

As linhas interiores de uma peça podem conferir uma nova dimensão à silhueta. Cada tipo de linha influencia de modo particular uma figura. Os nossos olhos tendem a se mover numa determinada direção – da esquerda para a direita e de cima para baixo. Existem alguns princípios gerais quanto à utilização das linhas:

  1. Quanto mais longa, mais larga e mais repetida for a linha, maior será a sua influência;
  2. As dobras de tecido (pregas, franzidos, drapejados) criam linhas e aumentam o volume;
  3. Quanto mais linhas existirem no padrão do tecido, menos detalhes deverão ter a peça de roupa.
  • Linhas verticais – Criam uma ilusão de altura e aspecto esguio. Porém, quando repetidas a intervalos regulares, podem dar à figura um aspecto mais largo e mais baixo, pois os olhos são atraídos de um lado para o outro.
  • Linhas horizontais – Têm a tendência para cortar a altura, especialmente quando dividem a figura ao maio. Mas uma linha horizontal colocada acima ou abaixo da linha média realça a zona menor, parecendo alongar visualmente a maior.
  • Linhas em diagonal – Podem contribuir para aumentar a altura ou a largura, conforme o seu comprimento e ângulo. Uma diagonal longa cria uma ilusão de maior largura.
  • Linhas curvas – Criam os mesmos efeitos que as linhas retas de localização semelhante, embora de uma forma mais sutil. O efeito visual é mais suave. Uma linha curva produz sempre um efeito de arredondamento e de maior corpulência.

DETALHES

Detalhes como mangas, golas, decotes e bolsos podem ter muita importância. A sua correta localização é que fará a harmonia da peça. Podem ter as seguintes finalidades:

  1. Acentuar uma silhueta. Por exemplo, mangas sino em um vestido trapézio.
  2. Dar realce a uma peça de vestuário simples.
  3. Tornar prática uma peça de vestuário formal.
  4. Despertar a atenção para uma característica interessante ou desviar a atenção de uma característica menos atraente.


COR E TEXTURA

Em geral as cores quentes, intensas e claras “avançam”, fazendo a figura parecer maior e as cores frias, discretas e escuras “recuam” fazendo-a parecer mais esguia.
A textura afeta igualmente de forma decisiva as dimensões da figura. As características descritas como textura podem ser o brilho ou a opacidade, o toque áspero ou macio, a rigidez ou maleabilidade, o peso e encorpamento que determinam o caimento do tecido.
As texturas granulosas e felpudas são mais volumosas e dão um aspecto mais pesado à figura. Um tecido rígido pode fazer a figura parecer maior, por outro lado, uma tecido maleável adere mais ao corpo e pode fazer parecer menor. As cores são divididas em quatro grupos principais:

  • Cores quentes: aquelas que conseguem provocar um efeito vibrante. Amarelo, vermelho, laranja. São muito usadas nas coleções primavera-verão, pois dão um clima de alegria e descontração. Porém, devem ser usadas com moderação.
  • Cores frias: provocam um efeito de calma e tranqüilidade. Verde, azul. São muito usadas para roupas mais sóbrias e clássicas.
  • Cores neutras: têm pouca intensidade. Bege, cinza, preto. São usadas para atenuar o efeito provocativo das cores quentes.
  • Tons pasteis: as cores em seu tom mais suave, mais claro. São usadas quando a intenção é dar um clima de romantismo e inocência.

 

QUADRO DE COMBINAÇÕES HARMÔNICAS DE CORES
Cor
Atenuado
Enriquecido

Vermelho

Verde

Azul

Laranja

Amarelo

Cinza, Bege, Branco, Preto

Cinza, Bege, Branco, Preto

Bege, Areia, Branco, Preto

Cinza, Branco, Preto

Cinza, Branco, Preto

Verde

Vermelho

Laranja

Azul

Violeta

PROPORÇÃO

As relações entre as diferentes partes de um determinado modelo designam-se proporções. Estas partes podem ser definidas pelas linhas estruturais ou resultar da forma como são utilizadas a cor e a textura. O ideal é que as proporções estejam em harmonia entre si e em relação à figura.

  1. Motivos maiores (estampas e padrões) são indicados para uma figura mais volumosa;
  2. Estampas e padrões grandes podem ser harmonizados se tiverem corem suaves;
  3. Grandes zonas de cores contrastantes dividem a figura horizontalmente no ponto em que as cores diferentes se encontram. A utilização de uma só cor ou de tons aproximados dá a ilusão de uma figura mais esguia;
  4. Os detalhes devem estar em proporção com a figura e a roupa. Por exemplo, quem tiver pouca estatura poderá aparentar muito volume na parte superior do corpo se usar uma gola muito grande. Uma pessoa muito alta com uma gola muito pequena pode parecer desproporcional.

Autor: Tânia Neiva Dias Silva, (tania_neiva@yahoo.com.br)
Disponibilizado para a IdealGratis 22/08/08

BIBLIOGRAFIA

ARAÚJO, Mário de. Tecnologia do vestuário. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1996.

ABREU, Dener Pamplona de. Curso Básico de Corte e Costura. São Paulo: Rideel, s/d. 3° Vol.

BRANDÃO, Gil. Aprenda a Costurar. 6ª ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 1981.

CRAWFORD, Connie Amaden. A Guide to Fashion Sewing: A Detailed Illustrated Approach to Sewing. New York: Fairchild Publications, 1986.

FERREIRA, Regina Silva O e PESSOA, Germana Maria B. de Pinhyo. Estudos de Decotes, Golas e Mangas. Fortaleza: Departamento de Economia Domestica – UFC 1983.

MOURA, Maria Augusta Bittencourt. Como Costurar Cantos e Curvas. Viçosa – MG: Universidade Federal de Viçosa, 1972

O GRANDE LIVRO DA COSTURA – Seleções do Reader’s Digest. São Paulo, 1979.

SUGAI, Chieko.Princípios Básicos de Costura. Piracicaba: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – USO. 1968.

SANTOS, Laércio F. e FILHO, José Ferreira de A. Introdução à Tecnologia Têxtil. CENAI/CETIQT, 1987.

STERBLITCH, Vera. Acabamentos de Costura, Edições de Ouro: Rio de Janeiro, 1989.

SOUZA, Maria Tereza F. Aprenda a Trabalhar com Renda e Crepe. Universidade Federal de Viçosa, 1986.

O GRANDE LIVRO DA COSTURA – Seleções do Reader’s Digest. Ambar. Porugal, 1990.

O NOVO LIVRO DA COSTURA SINGER – Edições Melhoramentos, 1989.

 

 

Curso De Excel

Através deste Curso aprenderemos a manipular totalmente a planilha eletrônica que encontra-se praticamente em todos os computadores de hoje em dia.

Peço desculpas apesar do título ser curso de Excel, iremos aprender utilizando a Planilha de Calculo OpenOffice!

Mas espere! Veja minha justificativa:

Não sou contra produtos pagos porém gosto de Softwares Livres e ao invés das pessoas falsificarem estes produtos porque não usar um que é semelhante e até melhor? Grátis?

Através deste curso gratuito de excel irei passar toda minha experiências na área,

Curso de Excel Prático apresentado em:

  • Vídeo Aulas,
  • Texto,
  • Imagem.

ESTRUTURA DA PÁGINA (sempre clique na imagem caso queira ampliá-la.)

 

Em Vermelho = Barra de Menus, 80% do aprendizado esta nesta barra

Em Amarelo = Barra de Ferramentas e Barra de Objetos

Em Preto = Barra de Fórmula, Muito importante!

Em Verde = As células, horizontal Alfanumérico … Infinito | Vertical Numérico … Infinito, neste caso estamos selecionando a célula B2, cuja soma é igual a 0 (veja na parte de baixo)

Em Rosa = São as folhas da planilha.

Em Azul = Zoom das Células

Conhecendo Estas ferramentas já domina-se grande parte da planilha de cálculo.

UTILIZANDO A FERRAMENTA AJUDA

Veja como é fácil este Curso online a próxima dica que irei dar será tal útil que poderíamos terminar o curso OpenOffice Calc por aqui!

Caso você não saiba o que significa um determinado ícone: Exemplo:

O que devemos fazer para saber o que é?
Apenas passando o mouse por cima dele já aparecerá um diálogo falando sobre a função do ícone. Veja:

Porém se você for em AJUDA e selecionar o botão ‘O que é isto?‘:

O programa irá colocar um ponto de interrogação na flecha do mouse e a onde você APONTAR O MOUSEele detalhadamente irá falar a respeito, esta ação é comum em muitos softwares, VEJA NOSSO exemplo;

em 1 = PASSAMOS O MOUSE em cima do Ícone e pareceu a seguinte mensagem:

“Faça Clique para abrir ou fechar a barra Desenhar, na qual é possível adicionar formas, linhas, texto e chamadas ao documento actual”.

Ou Seja ao clicar sobre o ícone “Faça Clique” irá abrir a “Barra Desenhar” (em destaque – 2 ) então é possível desenhar na planilha…

 

CURSO GRÁTIS DE DIREÇÃO DEFENSIVA.

Segundo o conselho interamericano de segurança: dirigir defensivamente é planejar as ações pessoais com antecedência, a fim de prevenir-se contra o mal comportamento de outros motoristas e as condições adversas.

O bom motorista é aquele que adota procedimentos preventivos no trânsito, sempre com cautela e civilidade, ou seja, dirige sempre pensando em segurança.

Através deste curso aprenda como ser mais cauteloso e dirigir com segurança, garantindo assim o bem estar de todos.

Passo 1

  • O bom motorista
  • Aprenda tudo sobre o que você necessita para ser um bom motorista.

 


Passo 2

  • Manual de direção defensiva
  • Para ser salvo da imprudência de outros condutores e das condições adversas, o bom motorista precisa desenvolver sua habilidade e aptidão.

Passo 3

  • Curso de direção defensiva – Senai
  • Um manual de direção defensiva, ministrado pelo professor Uanderson Rebula. Experiências e aprendizado na direção.

Passo 4

  • Direção defensiva e primeiros socorros
  • Os acidentes podem ocorrer em qualquer lugar, aprenda algumas orientações gerais em caso de acidentes.

Passo 5

  • Direção defensiva – DETRAN
  • Trânsito seguro é direito de todos.

Passo 6

  • Documentário sobre direção defensiva. (Vídeo)

Passo 7

  • Escola de Pilotagem BI-Campeão. (Vídeo)

Passo 8

  • Reciclagem para Condutores Infratores do Código de Transito Brasileiro.

LEMBRE-SE: O Curso é totalmente gratuito. Você apenas pode retribuir caso solicite o certificado!

 

 

10 Dicas sobre como FAZER a BARBA corretamnte



Muitos homens não gostam nem de pensar em fazer a barba, principalmente para aqueles que possuem peles mais sensíveis, podendo provocar muitos cortes e sangramento. Sabendo disso, pesquisamos os melhores produtos e as melhores dicas para ajudar você a fazer a sua barba corretamente.

Dicas sobre produtos para barbear:

Há disponível a venda, vários produtos para barbear, para cada tipo de pele existe um produto especifico. Para obter uma barba quase perfeita, é importante escolher os melhores produtos indicados para o seu tipo de pele.

Vamos começar com a espuma de barbear. Há basicamente três tipos de espuma, mousse, creme, e gel. A espuma tipo mousse é indicado para homens que possuem a pele oleosa, já gel ou creme para quem possui a pele seca ou normal.

Se você tem dúvidas sobre qual a melhor hora para fazer a barba, podemos dizer sem dúvidas que é durante ou após o banho, pois os poros se dilatam com a aguá morna. Evite a espuma do sabonete, pois em alguns casos podem acabar irritando a pele, prefira usar a espuma de barbear, indicada de acordo com o seu tipo de pele que recomendamos acima.

Outro detalhe importante é a sua lamina de barbear, se ela estiver gasta, pode ferir a sua pele e provocar cortes. Recomenda-se trocar as laminas após usar por três vezes. Quanto mais laminas o aparelho possuir, melhor, pois assim eles cortam os pêlos sem que seja necessário passa-lo pela mesma área por diversas vezes.

Outra opção para aparelho de barbear, são os elétricos, além de ser mais fáceis de se usar, não necessitam o uso de cremes. Porém eles não cortam o pelo rente a barba igual a lamina, mas diminuem a agressão a quem tem peles sensíveis.

Recomenda-se o uso de loção pós0barba após o barbear. A loção pós-barba ajuda a fechar os poros abertos pela água morna, alivia as irritações provocadas pela lâmina e alguns agem como cicatrizante, o que deve ser verificado no rótulo da embalagem. Evite as loções a base de álcool, pois costumam arder bastante na aplicação.

10 Dicas na hora de se barbear:

Fazendo uma pesquisa com alguns barbeiros experientes de diversas partes do brasil, conseguimos separar 10 dicas que podem ajudar você a fazer uma barba bem feita e sem cortes.

 

Preparando o rosto:

1 Lave bem o rosto, é importante que antes de barbear o rosto esteja limpo.

2 Fazer a barba durante o banho é uma ótima ideia, pois você ja lava o rosto, e a agua quente faz com que os pelos fiquem mais macios e os poros da pele se abram. Se não quiser fazer durante o banho, uma toalha quente ja ajuda a abrir os poros.

3 Lembra que nós recomendamos a espuma para barbear de acordo com o seu tipo de pele? Aplique a espuma e espere pelo menos quarenta segundos até a espuma agir.

 

Começando a barbear:

4 Verifique o sentido dos seus pelos.  Inicie pela costeleta depois a face, boca e por ultimo o queixo, pois geralmente os pelos demoram mais a amolecer neste local.

5 Estique um pouco a pele, isto pode evitar irritações e cortes. Em uma mão você pode segurar o barbeador, e a outra esticar sua pele.

6 Não pressione de mais o aparelho de barbear em seu rosto. Passe o menor numero possível de vezes as laminas sob a sua pele, pois quanto mais voce passar, maior o risto de irritar.

7 Lave  a lâmina de barbear, cada vez que passar no rosto, o acumulo de pelos diminui a eficácia do seu aparelho.

 

Finalizando o barbear:

8 Lave seu rosto com água morna, e verifique se você deixou de barbear alguma área, se esqueceu, aplique um pouco de creme de barbear novamente no local e retoque.

9 Finalmente lave bem o seu rosto preferencialmente com água fria, para que os poros abertos pela agua morna se fexem, para secar, evite esfregar a toalha, apenas encoste.

10 Por final, passe sua loção pós barba, recomendada para a sua pele.

 

Confira um vídeo sobre o assunto


 

Como Fazer Creme Para Barbear



Quando se fala em creme de barbear, simplismente muitos acham que o creme só serve para fazer espuma, e deslizar de maneira mais fácil as laminas. Mas está enganado, o creme para barbear ainda ajuda nas seguintesquestões:

Amaciar os pelos da barba, o que facilita o barbear. Abrir os poros do rosto. Lubrificação do corte, oque pode permitir melhor deslize das laminas. Ação desinfetante e possívelmente cicatrizante ( para possíveis cortes durante o barbear ) Evitar dores desagradaveis durante barbear.

Material necessário para fazer creme para barbear: - 1/4 de xícara de estearina - 1 xícara de água mineral ou destilada quente - 1 colher (sopa) de bórax - 2 colheres (sopa) de base para sabonete glicerinado - 2 colheres (sopa) de óleo vegetal de oliva, gérmen de trigo ou amêndoa - 20 gotas de óleo essencial de gerânio - 20 gotas de óleo essencial de lavanda

Acessórios: Liquidificador.

Modo de fazer o creme para barbear: Derreta a estearina em banho-maria. Já em uma outra panela, coloque água quente e coloque também a base para sabonete glicerinado e o bórax. Mexa bem e leve ao fogo, desligue quando toda mistura estiver derretida. Na estearina que você derreteu em banho-maria deve ser adicionado o óleo vegetal, depois deve-se mecher bem. Agora a mistura da água, bórax e também do sabonete glicerinado, você deve colocar ao liquidificador e bater bem. Coloque aos pouquinhos a mistura de óleo com estearina. Agora é só bater novamente a mistura durante aproximadamente 1 minuto. Despeje todo conteúdo do liquidificador num recipiente vazio de vidro. Coloque os óleos essenciais ( 20 gotas de lavanda e 20 gotas de gerânio ), misture bem. Deve ser conservado tudo em potinhos plásticos esterelizados. Após o resfriamento, está pronto para uso.

 

 

 

Como Fazer Sabonete Líquido



Fazer sabonete liquido  é fácil, e ainda você pode escolher a essência. De erva doce, de maçã, de calêndula, de erva cidreira, você pode usar até a essencia de algum perfume famoso, em fim, se eu fosse falar o quanto você pode tornar o seu sabonete liquido exclusivo, faltariam linhas aqui, hehehe Então chega de papo, e vamos começar com as dicas para fazer sabonete liquido.

Para fazer o sabonete liquido é nessesário os seguintes itens:

-300 ml de água destilada -100 ml de base para shampoo -3 colheres de sopa de anfótero -1 colher de sopa de essência multiuso -1 colher de sopa de Lauril líquido -1 colher de sopa de extrato glicólico (opcional) -Corante a base de água -Recipiente de 1 litro, para fazer a mistura -Espátula -Frasco para embalar

Passo a passo como fazer o sabonete líquido:

Adicione 100ml de base para shampoo no recipiente, agora adicione 300ml de agua destilada. Misture bem, mas com cuidado, devagar para que não se forme muita espuma. Adicione 3 colheres de anfotero e misture. Adicione 1 colher de lairil e mecha bem, até que tudo se misture bem Coloque 1 colher de extrato glicolico e mecha. Agora é a vez de colocar a essência, use a de sua preferência. Adicione algumas gotas do corante de sua preferência, até que fique na cor que você desejar. Misture novamente com cuidado, para que nao se forme espuma.

Seu sabonete liquido está pronto, agora você pode embalar. Voi como é fácil fazer sabonete liquido ?

 

Como Fazer Amaciante



Fazer amaciante  em casa pode ser uma ótima ideia, ainda mais quando sabemos que o custo de fabricação é super reduzido, comparando aos que você compra no supermercado, além de que você pode vende-los para ganhar um troquinho extra no final do mes. Por isso optamos desta vez em explicar pra você passo a passo como fazer amaciante caseiro, fique ligado, pois fazer amaciante é fácil. A receita tem um rendimento aproximado de 31 litros.

Para fazer amaciante, você vai precisar dos seguintes itens:

-27 litros de água fria -3 litros de água fervendo -1 litro Base AM -Corante a base de água -60ml de Essência para Amaciante

Como fazer o amaciante:

Coloque aos poucos 3 litros de água fervendo em um litro de base AM e misture até que tudo fique bem diluido. Misture o restante da água (fria) aos poucos, agora adicione o corante, e misture bem, após misturar bem, acrescente a essência. Deixe a mistura por aproximadamente 12h descansando. Após as 12h de descanso, está pronto para embalar.

O amaciante que você fabricou pode ser embalado em garrafas de refrigerante, qualquer uma de sua preferência.

Bases e essências: As bases e essências podem ser encontrados em lojas especializadas em produtos químicos, ou você também pode compra-los online nos sites abaixo: http://www.quinari.com.br http://essenciaz.com.br

Qualquer dúvida referente a como fazer amaciante, escreva-nos um recado

 

Como Fazer Desinfetante



Fazer desinfetante  é uma ótima ideia, devido ao custo de fabricação que é super baixo, comparando aos que você compra pronto, você também pode vende-los para os amigos e parentes, ganhar um troquinho extra no final do mes. Por isso optamos neste artigo explicar pra você passo a passo como fazer desinfetante caseiro, fique ligado, pois fazer desinfetante é fácil. A receita tem um rendimento aproximado de 50 litros.

Para fazer o desinfetante você vai precisar de:

-50 litros de Água -1 litro Base DF 1 X 50 ( base desinfetante) -Corante a base de água -60ml de Essência para Desinfetante

Passo a passo como fazer desinfetante:

Dilua 1 litro da base DF  1 X 50 nos 50 litros de água descritos acima. Adicione o corante e a fragrância. Após isto você pode já embalar, para embalar aproveite as garrafas de refrigarante, ou qualquer outro recipiente descartavel.

 

Como Fazer Sabão | A Maneira Mais Simples de Fazer Sabão



Você que sempre quis ocupar seu tempo livre, nunca soube como? Ou até mesmo economizar um pouquinho de dinheiro em casa? Então vamos te explicar passo a passo como fazer sabão. Depois que você aprender a fazer sabão, vai ver o quanto é fácil fazer sabão, assim poderá ensinar atémesmo os amigos.

Material necessário para fazer sabão:

½ litro de soda cáustica líquida. 2 litros de óleo ou gordura. 250ml de álcool. 1½ litro de água.

Fazendo o sabão, passo a passo Com todos os materiais em mãos, vamos iniciar o preparo do sabão. Para manusear os materiais, é recomendavel, que se use uma luva de borracha.

Coloque todo o material descrito acima, em um balde, mexa bem com um cabo de vassoura, ou até mesmo uma colher de pau, por mais ou menos 40 minutos, até que a massa fique cor creme, e consistente.  Assim como mostra a imagem abaixo:

Durante o processo, é possível que sonte um liquido. quando isto acontecer, mecha mais devagar, para que o liquido nao espirre. Quando der o ponto, voce vai poder jogar este liquido fora. Coloque a massa em uma forma, e deixe-o secar por aproximadamente 8 dias, é recomendavel que se use somente após este periodo. Lembrando que quanto mais tempo você deixar secar, mais branco o sabão vai ficar, e ficará melhor para usa-lo.

Percebeu, o quanto é rápido e fácil fazer sabão? Caso ainda tenha duvidas sobre como fazer sabão, escreva-nos um comentário.

 

Como Fazer Curriculum | Vários Modelos de Curriculum



Como fazer o meu curriculum? Esta é uma pergunta que muitos fazem, apresentar um bom curriculum em uma empresa que está procurando alguém para uma determinada vaga, costuma ter sempre um bom retorno.

Todos sabemos que muitas admições são feitas através de seleção de currículos, e que essa, na maioria dos casos é a primeira forma de contato que o empregador tem com o candidato a vaga. Sendo assim é essencial ter um curriculum bem apresentavel, para se levar as empresas ou agências que estão oferecendo tais vagas.

Existem vários modelos de curriculum, antigamente entregava-se na empresa curriculuns enormes, com várias páginas, mas hoje isto não é feito mais. Um dos mais populares modelos de curriculum é o Curriculum Vitae, existem também várias ferramentas online que te ajuda a criar e até mesmo divulgar seu curriculum na internet.

Vamos ser mais breves possíveis quanto aos modelos de curriculum e exemplos sobre as diversas ferramentas online para você criar ou até mesmo publicar seu curriculum.

Modelo de curriculum para download

Como eu havia dito, um dos mais populares modelos de cirriculum, é o curriculum vitae, ele pode ser facilmente baixado em formado DOC, AQUI ( DOC é o formato de arquivos do WORD )

Existem também outros modelos simples de curriculum  para download, fazendo algumas pesquisas pela rede encontramos umas dicas no site efetividade.net. encontramos um modelo de cirriculum elaborado por eles mesmos.

 

Como fazer Maquiagem, dicas de como fazer uma maquiagem rápida e sem complicação


ELETRECIDADE


 

 

 

 

 

 

 

 






 

 

Votação
O que você acha desse site? Dê sua nota
9|95|blue
Ver Resultados

Rating: 2.9/5 (2623 votos)




ONLINE
1





Partilhe este Site...